Prêmio de Risco por Matheus Garutti e Pedro Guedes

O que é?

O prêmio de risco, chamado de “equity risk premium” em inglês (ERP) é quanto um investimento com risco rende a mais do que um investimento considerado sem risco. A ideia básica é que para investir em ações, que possui um retorno mais incerto, será preciso ganhar mais do que numa aplicação sem risco. Essa diferença é o ERP.

O investimento com menor risco no mercado é tipicamente considerado o título de curto prazo do governo norte-americano. Isto porque a economia americana é, atualmente, a mais forte do mundo, e o governo possui boa capacidade de pagar a sua dívida. É considerado especificamente o título de curto prazo pois, quanto mais longo o prazo de vencimento, maior é o risco. O prêmio de risco é, então, somente a diferença entre o rendimento de um investimento e o rendimento desses títulos norte-americanos.

No Brasil, utilizamos o tesouro selic, pois estes são, no país, os títulos considerados de menor risco.

No gráfico abaixo podemos observar a variação do ERP em determinados países e regiões durante os primeiros meses da pandemia do coronavírus:

O ERP do mercado brasileiro passou de 8,16% ao ano em janeiro para 11,51% ao ano em abril, de acordo com os cálculos de Damodaran (professor de finanças na Stern School of Business). É um pouco abaixo da média dos países da América Latina, que aumentou de 8,48% ao ano para 11,79% ao ano no mesmo período.

Entre os mercados desenvolvidos, o ERP dos Estados Unidos saiu de 5,20% ao ano para 6,01% ao ano e na Europa a taxa foi de 6,01% ao ano para 7,51% ao ano.

Para os investidores que acreditam que a economia brasileira irá se recuperar, a rentabilidade esperada para as ações negociadas na B3 está mais atrativa do que na maioria dos demais países do mundo.

Como calcular?

Prêmio de Risco = Retorno esperado - Taxa livre de risco

Imagine que um investidor queira investir em ações. Através de técnicas de valuation ele estimou um retorno esperado de 20% no ano para uma ação.

Selic atual é de 2%

O prêmio de risco será de 18%, pois: 20% – 2% (Título de menor risco no Brasil) = 18%

Este é um resultado que faz sentido. Afinal, o investidor só irá aplicar em ativos mais voláteis caso eles possam pagar mais do que os ativos menos voláteis.

49 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo