PMC 02/2021 - Núcleo de Macroeconomia e Renda Fixa

Olhando primeiramente para o varejo restrito, observou-se um crescimento de 6% no mês de fevereiro em relação ao mesmo mês no ano anterior, com destaque de alta de 10.6% no segmento de Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo, que responde por 24% do índice. O cancelamento das festas de carnaval devido às novas restrições da pandemia pode ter resultado em uma redução das vendas de bebidas em grande quantidade nessa época do ano. Desse modo, esse setor pode ter colaborado para um menor crescimento do índice.


O setor de Livros, jornais, revistas e papelarias vem caindo desde o começo do ano de 2020. Em fevereiro, o setor apresentou queda de 40.3% na comparação com o mesmo mês do ano anterior, acumulando uma queda de 40.8% nos últimos 12 meses. Motivos como aulas online, livros digitais envolvendo um maior uso de tecnologia são fatores importantes para o resultado desse setor. Entretanto, como esse setor não tem grande peso para o índice, sua grande queda não surtiu resultados negativos ao índice como um todo.


O varejo ampliado apresentou crescimento de 8.6% em fevereiro, comparando com fevereiro de 2020, que é maior do que o número observado para janeiro, de 6.9%, acumulando alta de 7.7% no ano. Esse número vem sendo influenciado pelo segmento de Materiais de Construção, que acumula alta de 34.1% no ano e 21.6% nos últimos 12 meses. Para fevereiro, o setor de Materiais de Construção apresentou um crescimento de 39.9% na comparação com o mesmo mês do ano passado, revigorando um maior aquecimento para o setor.


Com o crescimento de setores de pesos maiores ao índice, como Hipermercados e Supermercados representando 29%, Veículos, motocicletas, partes e peças com representação de 26% e Materiais de Construção, que mesmo com um peso de 8% no índice, vem apresentando crescimento consistente, indicam uma reestruturação do setor o conforme o retorno gradual das atividades.






17 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo