ETFs vs Ações - por Gabriel Andrade

Introdução

No mercado de ações atual, muitas pessoas optam por investir em ETF’s, buscando utilizá-los para diversificar a carteira, evitar o stock picking ou até mesmo para se expor a uma moeda estrangeira. Mas afinal, o que é um ETF? É melhor investir em ações diretamente ou através dos ETF’s? O artigo de hoje vai buscar responder todas estas dúvidas.

O que é um ETF?

ETF (Exchange-Traded Fund) é um tipo de fundo de investimento também conhecido como fundo de índice, por muitas vezes replicar os grandes índices de mercado existentes. Contudo, eles não se restringem apenas a isso e podemos encontrar ETF’s que invistam em Ações, Commodities, Títulos de Renda Fixa, Índices de Mercado e Moedas. Eles possuem seus próprios gestores e são listados diretamente na bolsa de valores, onde podemos adquiri-los.

Fazendo uma analogia, um ETF pode ser considerado uma cesta de diferentes ativos.

Gestão

Os EFT’s em sua maioria possuem gestão passiva, seguindo algo pré-determinado e não podendo mudar sua metodologia em maus períodos. O gestor de um ETF deve seguir a sua política de investimento à risca e, diferente de um fundo de investimento de gestão ativa, ele não pode simplesmente escolher a melhor oportunidade para alocar seu capital naquele momento.

Rentabilidade

A rentabilidade dos ETF’s funciona de maneira fácil e prática. Ela é determinada pelas oscilações dos ativos que compõem aquele ETF, junto da lei de oferta e demanda. Além disso, você pode acompanhar o rendimento deles abrindo o aplicativo da B3 no seu celular ou através do home broker da sua corretora.

ETF para o iniciante

Se você é um iniciante no mercado de ações ou não se sente confortável para realizar o Stock Picking, isto é, realizar a análise de cada ativo para escolher quais irão compor a sua carteira, o ETF deve ser considerado um bom tipo de investimento.

Tributação

Os ETF’s também possuem tributação em cima do ganho de capital. A tributação ocorre da seguinte maneira:

• Ganhos de capital tributados na alíquota de 15%;

• Não existe isenção dos 20 mil reais em vendas no mês;

• Custos com corretagens podem ser descontados no lucro.

Exemplos de ETFs

O IVVB11 é um ETF que replica o S&P 500, o índice das 500 maiores empresas dos Estados Unidos. Através dele, é possível expor a sua carteira ao dólar, o que é fundamental para qualquer investidor que deseja bater o mercado e obter os melhores resultados, além de diversificá-la. O IVVB11 compõe empresas como: Google, Facebook, Microsoft, Apple, Disney, Visa etc. Portanto você estaria se expondo as maiores empresas do mundo atualmente. A rentabilidade do IVVB11 é determinada não apenas pelas oscilações dos ativos do índice, mas também pelas oscilações do dólar. Com isso, em um dia que o mercado brasileiro se desvaloriza, você acaba tendo um ganho com a valorização do dólar, além de poder obter um ganho com as empresas compostas pelo índice. Abaixo, podemos ver a rentabilidade anual do IVVB11 desde 2015 até 2019.




Outro ETF disponível é o BOVA11, que replica o Índice Bovespa. Investindo no BOVA11, você consegue seguir o mercado, não obtendo melhore resultados que ele, mas com retornos que ao longo do tempo foram consideráveis.

É possível ver no gráfico acima e rentabilidade muito parecida entre o IVVB11 e BOVA11 de 2014 até 2019.

Baixas Taxas de Administração

Os ETF’s possuem algumas vantagens. Uma delas é a baixa taxa de administração cobrada, que é em média de 0,5%. Já os fundos de investimento no geral possuem em média 2% de taxa de administração, mostrando a baixa taxa cobrada pelos ETF’s. Isso ocorre principalmente pelo fato de os ETF’s possuírem gestão passiva enquanto os fundos de investimento possuírem gestão ativa.

ETF’s ou Ações?

Muitas pessoas têm a mesma dúvida: devo investir em ETF’s ou diretamente em ações?

Como vimos, os ETF’s são uma maneira fácil e prática de investir na bolsa de valores. Ele deve ser levado em consideração para os iniciantes do mercado financeiro e os leigos que não querem ou não sabem realizar o Stock Picking. Porém o ETF também deve ser utilizado para quem quer se expor aos mercados estrangeiros.

A melhor carteira de investimentos, deve ser muito bem diversificada e o ETF aparece como mais uma opção para isso. Caso você se sinta apto para analisar e escolher seus próprios ativos, você pode sim optar por não investir nos ETF’s, porém ainda sim pode utilizá-los para melhorar o desempenho da sua carteira.

27 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo