ESG - por Isabella Dalberto

Introdução

Esse artigo tratará sobre o tema ESG, que está em evidência crescente nos últimos anos. Esse termo deriva do inglês, environmental, social and corporate governance. Fazendo a tradução: Governança ambiental, social e corporativa. Esse conceito baseia-se em investimentos responsáveis, uma vez que a empresa está preocupada com outras questões além de seu lucro, como por exemplo: questões, sociais, ambientais e de governança, assim, é possível ter uma avaliação de empresas de forma holística.

Quando um analista faz o uso dos princípios ESG na análise de empresas para tomar uma decisão em seus investimentos, ele mostra que há preocupação não só com indicadores financeiros e econômicos, mas também em fatores essenciais para que haja o bem estar social e do meio ambiente.

Environmental

Em relação aos fatores ambientais pode-se destacar o uso de recursos naturais, emissões de gases de efeito estufa, eficiência energética, poluição entre outros.

Social

Sobre os fatores sociais pode-se dizer que é o uso de direitos humanos, proteção de dados, inclusão, diversidade, treinamento.

Government

Sobre os fatores de governança seria a independência do conselho, política de remuneração da alta administração, diversidade na composição do conselho de administração, estrutura dos comitês de auditoria e fiscal, ética e transparência.

As discussões acerca de ESG cresceram muito nos últimos anos. No mundo dos investimentos é possível ver esse movimento sob duas óticas. A primeira é em relação ao número de investidores que estão buscando empresas que utilizam as práticas ESG, assim os investidores escolhem empresas que estão alinhadas aos seus princípios. A segunda perspectiva é em relação às empresas que estão cada vez mais se movimentando para adotar as práticas ESG.

Contexto global e ESG

Um exemplo para ilustrar a crescente onda ESG no mercado:

Atualmente, no mundo, mais de U$30 trilhões estão alocados em fundos que adotaram práticas sustentáveis. Esse número representa um aumento de 34% em relação a 2016, de acordo com a Global Sustainable Investment Alliance.

Dos mais de US$30 trilhões em ativos sustentáveis, US$14,1 trilhões estão na Europa. Esse número representa 50% dos ativos sob gestão na Europa. Nos Estados Unidos e Japão, por sua vez, a representatividade dos investimentos sustentáveis é menor do que quando comparado à Europa, girando em torno de 26% e 18%, respectivamente. No entanto, em 2016 essa representatividade era de 22% nos EUA e 3% no Japão, indicando que a tendência ESG tem acelerado rapidamente.

A crescente onda ESG é muito importante para o futuro do nosso planeta. Tais práticas, se utilizadas corretamente, geram desenvolvimento sustentável, que, cada vez mais, se mostra um tópico de extrema relevância no mundo. É evidente que a onda ESG vem crescendo muito no mundo, no entanto ainda há espaço para crescimento visto que apenas 24% das bolsas globais utilizam práticas sustentáveis. A importância dessas práticas deve ser cada vez mais relevante nas análises e as empresas devem ser cada vez mais cobradas por isso.

3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo