Aumento da Selic em 75 bps, commodities, câmbio e inflação - Núcleo de Macroeconomia e Renda Fixa


Na reunião seguinte a retirada do Foward Guidance, o COPOM decide elevar a taxa básica de juros em 75bps. A decisão em unanimidade acabou surpreendendo a maioria dos analistas e gestores de mercado, que atribuía maior probabilidade à alta de 50bps. Houve alterações significantes em relação a reunião de janeiro, o novo comunicado destacou a atualização do cenário base observado, que passou a adotar uma visão mais cautelosa.


O cenário externo passou de “favorável” para “desafiador”. O comitê pontua que a normalização da demanda global e o elevado grau de estímulo nas economias desenvolvidas têm provocado movimentos de reprecificação em ativos financeiros ao redor do mundo. Paralelamente, a pressão inflacionária observada recentemente no Brasil, derivada da alta consistente no preço das commodities, se mostrou “mais forte e persistente que o esperado”.


Commodities e Câmbio contaminaram as expectativas para 2021. A combinação de alta no preço das commodities e depreciação cambial causaram acelerações inflacionárias persistentes nos últimos meses, levando a mediana das expectativas de IPCA para 2021 a um nível próximo da banda superior. Além disso, as medidas de inflação subjacente também aceleraram em janeiro e fevereiro, corroborando com a hipótese de contaminação levantada acima.


Após 4T20 aquecido, atividade deve contrair em 1T21. No último trimestre de 2020, o PIB brasileiro avançou 3.2% contra o trimestre imediatamente anterior, encerrando o ano com uma contração de 4.1%. Apesar da queda, o resultado veio acima do esperado, destacando o bom desempenho da economia brasileira no 2º semestre. Porém, o balanço de riscos para a atividade no 1º trimestre continua a piorar com o fim do auxílio emergencial e recrudescimento da pandemia. Indicadores setoriais já dão indícios de desaceleração e dados de alta frequência apontam à queda da mobilidade nos maiores estados devido ao aumento das restrições.


Cinco anos depois, BC volta a aumentar juros. Com a decisão do COPOM, a política monetária brasileira entra em um processo de “normalização parcial”, visando reduzir o grau de estímulo “extraordinário”. Para a próxima reunião, o colegiado já sinalizou que haverá um novo aumento de mesma magnitude, todavia, o ritmo de normalização para os meses subsequentes dependerá do balanço de riscos e do data flow, que até o presente momento trazem elevado grau de incerteza.


Projeções de inflação se elevam. As novas estimativas de inflação trouxeram o IPCA de 2021 e 2022 para 5% e 3.5% respectivamente. O Banco Central enxerga que o aumento dos preços administrados continuará a ser o principal vetor de aumento inflacionário ao longo deste ano, dissipando-se apenas em 2022.





19 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo