Índice de Basileia - por Leonardo Miyashiro


Quando se fala de indicadores de endividamento, como Dívida Líquida/EBITDA, esses possuem uma utilidade reduzida e menos eficiente no setor bancário em comparação aos outros setores.

Essa diferença se deve porque a finalidade da captação de dívidas de um banco é diferente de empresas de outros setores, isto é, o banco utiliza a captação de dívida a fim de conceder crédito e, consequentemente, gerar receita com o spread bancário.

Então, para analisar o nível de endividamento do setor bancário, usamos o Índice de Basileia.



O que é o Índice de Basileia?

O Índice de Basileia é um indicador que mede o grau de alavancagem financeiro e capacidade de cumprir com as obrigações de pagamento (solvência) de uma instituição financeira, particularmente bancos. O Banco Central estabelece um índice que os bancos devem estar acima.

No caso do Brasil, segundo Banco Data, esse índice mínimo é de 11%, isto é, para cada R$ 100 emprestados os bancos devem ter pelo menos R$ 11 como patrimônio.



Surgimento do Índice de Basileia

O Índice de Basileia (IB) originou-se a partir do Acordo de Capital de Basileia no qual, ao longo do tempo, tiveram 3 revisões – Basileia I, II e III – para fiscalizar e estabelecer critérios às instituições financeiras.



Como o Índice de Basileia é calculado?

PR: Patrimônio de referência (Nível I* + Nível II**)

RWA: Ativos ponderados por risco (Cálculo da exigência de capital)



*Capital principal (capital social, reservas de capital e lucros cumulados)

**Capital complementar (dívidas com vencimento superior a 5 anos)



Exemplos de Índice de Basileia (24/05/2021)


Bancos Índice de Basileia

Itaú Unibanco S.A 14,5%

Banco BTG Pactual S.A 16,7%

Banco do Brasil S.A 21,1%

21 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo